quinta-feira, 17 de junho de 2010

Sustentabilidade

As pessoas estão falando muito em "Sustentabilidade" que parece ser a palavra da moda.
Alguns não pegam sacolas plásticas no supermercado, outros compram orgânicos, outros tomam banhos mais rápidos.
Mas tudo isso não é uma idéia e muito menos um ideal. São apenas ações básicas, mínimas e óbvias que todos deveríamos ter tomado individualmente e por livre arbítrio.

"Pegada ambiental", "compensação de carbono", "desenvolvimento sustentável", são todos termos criados ou popularizados pelo mesmo estado de coisas que nos trouxe até a situação atual. Estado de coisas que prega o consumismo exagerado, a ganância e o individualismo.

Ao invés de comprarmos um enorme SUV a diesel, agora tentam nos convencer de comprar o último modelo do moderno carro flex.
Ao invés de termos conta no banco que cobra as menores taxas de juros, agora tentam nos convencer de ter conta no banco mais sustentável. Como pode um banco ser sustentável se não produz e não cria nada?

Para ser sustentável basta vender o carro, comprar ou alugar um terreninho no campo, passar a plantar e colher, consumindo o mínimo possível e reciclando o que for possível. Obviamente que quem tem uma profissão ou ofício pode e deve continuar com seu trabalho paralelamente, muitas vezes sem nenhum prejuízo graças aos avanços na comunicação.

Claro que entre uma coisa e outra existem muitas possibilidades, mas é preciso repensar a idéia de que apenas aquelas pequenas opções politicamente corretas em nosso dia a dia serão capazes de modificar minimamente qualquer coisa.

0 comentários: